terça-feira, 8 de outubro de 2013

Acham que sou idiota?

Agem como se eu fosse a mais ingênua
Me fazem de boba
Como se eu nunca percebesse nada
Pobres tolos! 
Eu observo tudo, sei de tudo
Aliás, talvez não saiba
E talvez seja a última a saber
Mas não sou boba
Eles esquecem que a vingança
É um prato que se come frio
Que fazer fofocas por aí
É fazer papel imbecil
Se acham muito espertos
Tapam meus ouvidos, meus olhos e minha boca
Mas esquecem que eu possuo um sexto sentido
Sexto sentido que vale por todos os outros cinco
Ás vezes penso como criança
Ás vezes penso como mulher
Ás vezes penso com a doce e amarga adolescência
Com essa adolescência agridoce 
Ás vezes não penso
Mas sei e quando não sei descubro
Coitados desses idiotas 
Que pensam que sou idiota.