sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

Ausência

Mais uma vez, estivera ausente
Mais uma vez, está ausente
Ausente de si mesma
Não sabe aonde se perdeu
Talvez em uma das florestas escuras
Que cresceram sua mente
Está presa em um labirinto de memórias
Repleto de lembranças que
Agora já não amargam tanto
Já não machucam tanto
Mas ainda está perdida em suas confusões
Em seus medos bobos
Se afogando no mar da desconfiança e da angústia
Por isso talvez não esteja perdida
Talvez ainda fuja
Fuja de si mesma o quanto pode
Para o mais longe possível
E por hora, não pretende voltar.