terça-feira, 31 de dezembro de 2013

By: Lúcio Rios

Tu tens um medo:
acabar
Não vês que acabas
todo dia
Que morres no 
amor
Na tristeza
Na dúvida
Na desejo
Que te renovas
Todo dia
No amor
Na tristeza
Na dúvida
No desejo
Que és sempre o
mesmo
Que morrerás por
idades imensas
Até não teres medo
de morrer



E então serás 

eterno.