segunda-feira, 16 de dezembro de 2013

O estranho

Era dia 14 de Dezembro, um sábado, Victória havia ido ao centro da cidade, para fazer compras, no início da tarde, mas, logo ela retornou, pois uma grande tempestade havia se formado rapidamente, decidiu que, terminaria de fazê-las no dia seguinte.
No caminho de volta, relâmpagos iluminavam tudo, seguidos por trovões altíssimos, e ventos que chegavam a destelhar as casas.
Assim que passou pela porta, a chuva começou a cair. Victória nunca vira uma tempestade tão forte, seus pais estavam viajando e ela estava sozinha em casa, mas, ela não ficou assustada.
Quando a chuva diminuiu, já era noite, havia ido ao quintal da casa para ver os danos que a tempestade causara, quando um raio gigantesco cortou os céus e caiu em meio ao campo, nunca um raio tão forte havia caído, não ali, tão próximo. Ela percebeu algo no lugar onde o raio caiu, talvez fosse um animal, uma árvore, ou uma pedra. Em meio à escuridão, não conseguia distinguir, então, ignorando as normas de segurança para dias de tempestade,Victória saiu correndo na chuva, em direção ao local onde o raio caíra.
A princípio, ela confirmou que era um animal, mas, estava enganada, quando se aproximou mais um pouco, pôde ver bem, era um corpo humano, um rapaz. Estava coberto de lama, algumas penas enlameadas estavam grudadas no seu corpo e espalhadas ao redor, e estava desacordado.
Talvez aquele rapaz, que aparecera do nada, estivesse morto, Victória pensou. Resolveu verificar, ele estava respirando, e tinha pulsação ainda que muito fraca, pôde notar também, que ele estava sangrando, estava ferido. Ela decidiu ver qual era a gravidade do ferimento, com muito cuidado e um pouco de dificuldade, conseguiu virá-lo de costas, e qual não foi a sua surpresa, ao ver que ele possuia dois enormes e profundos cortes, que se uniam  nas extremidades inferiores, formando um "V". Haviam mais penas dentro dos cortes.
Ela não acreditava em coisas sobrenaturais, mas, naquele momento, um pensamento invadiu sua mente, aquele rapaz, só poderia ser um anjo. Porém, Victória não sentiu medo, ela decidiu que o ajudaria, não deixaria que ele morresse, seja lá quem ele fosse.
Bem, ela ainda não sabia, mas, tinha razão, o estranho, era Daniel, um anjo que fora expulso dos céus, e, a presença dele, mudaria a sua vida.