terça-feira, 10 de junho de 2014

Mentes

Meu doce anjinho
Nada ingênuo
Por que mentes para mim?
Me responda meu anjinho
Por que mentes tanto assim?

Eu sei que mentes
Eu sei que me engana
E sei que só há verdade
Quando diz que não me ama

Quando me deixas no vazio
Quando não me dá atenção
Eu sei que por causa de outra
Mas, sempre me diz que não

Eu posso até ser paranoica
Complicada, grudenta, sim
Mas, não entendo meu anjinho
Por que mentes para mim

Eu fecho os olhos e os ouvidos
Para não ver, nem ouvir a verdade
Mas, sinto no coração
Que inventas uma realidade

Sempre sou eu quem te chamo
E quem vive a procurá-lo
Dói saber que não me amas
Mas, quanto a isso me calo

Ah! Quão boba sou eu
Sei que nunca te terei
Teu coração sempre será d'outras
Mesmo assim, me apaixonei

Esta noite partirei
Te deixarei em paz, em fim
Mas saiba que depois será tarde
Para vinde até mim.