sexta-feira, 27 de junho de 2014

Nua

Fitava o seu corpo refletido no espelho
Aquelas mãos perderiam-se facilmente naquelas curvas
Deslizariam lentamente
Curvas imperfeitas
Corpo imperfeito

Nua

Olhava-se, observava cada centímetro de si
O que tiraria, o que mudaria o que deixaria
Ah, e imaginava aquelas mãos deslizando por seu corpo
Será que elas o apreciaria?
Imperfeições, imperfeições, perfeita

Tudo nela era perfeito

Cada imperfeição era perfeita
Cada coisa que ela mais odiava
Era o que a tornava perfeita

Perfeita em suas imperfeições


Nua a fitar-se no espelho
Graciosa e imperfeita
Perfeita

E aquelas mãos

Ah! Aquelas mãos
Perderiam-se deslizando lentamente naquelas curvas
Curvas mal feitas, mas perfeitas.