sábado, 19 de julho de 2014

Vida

Sim, eu sou uma inútil. Uma inútil que se deixa ser derrubada e que não se levanta, que é devorada por seus medos, que não tem coragem de arriscar. Que se declara, que se sente culpada, que sempre se arrepende de fazer, ou de não fazer alguma coisa, qualquer que seja. Sou alguém que quer ser diferente, mas que não faz nada para mudar, alguém que quer ser notada, mas que vive se escondendo. Estou cansada de ser assim, mas, vivo presa nessa eu inútil. Tudo sempre fracassa. Odeio ser eu.