quinta-feira, 25 de setembro de 2014

Só mais um clichê de amor

Eu te amo.
Sei que já disse isso muitas vezes, aliás, já escrevi isso muitas vezes, tantas vezes que perdi as contas, me perdi em meio a tantos e tantos "Eu te amo!", que foram em vão, frase dita tantas vezes, e sugada tantas vezes para um lugar, onde não havia retorno, nem mesmo o som ecoava, frase que se perde e nunca retorna.
Eu te amo.
Uma simples frase de três palavras, que ficou no vácuo, assim, esquecido, ignorado.
Eu te amo.
Três palavras tão poderosas que podem matar, ou reviver, ou fazer viver e quase me matava de sofrimento e dor
Eu te amo.
Não me canso de dizer, mesmo que seja suicídio.
EU TE AMO.
Um grito em silêncio, que fica preso na garganta.
EU TE AMO.
Olhe nos meus olhos e verás que eu grito.
EU TE AMO.
Não posso gritar para o mundo, seria só mais um "Eu te amo" gritado em meio ao vazio.
EU TE AMO.
Teu coração é vazio, não está cheio de mim, então te amar não faz diferença alguma
EU TE AMO.
Grito em meio ao silêncio, digo através do olhar,
EU TE AMO.
Um "Eu te amo" cheio de mim, que estou repleta de ti.
Eu te amo.
Digo baixinho, através do olhar tímido que desvio sempre que olha para mim
Eu te amo.
É o que quero dizer a cada mensagem fria que te digo, a cada "bom dia", a cada "olá!".
Eu te amo.
EU TE AMO.