quarta-feira, 8 de abril de 2015

Kriptonita

Esta noite ele não me deixou dormir, ficou em meus pensamentos a noite inteira.
Ele sempre faz isso, mas, a culpa não é dele, que nem sabe que eu alimento esse sentimento de admiração quase infinita.
Sempre tive uma queda por caras com barba. É sexy, é bonito. A barba, quando bem preenchida, bem aparada, trás para um rapaz um ar de cara sério e inteligente.
Mas, ele não é bem assim. De fato é inteligente, mas, não é tão sério. Ele fica lindo quando deixa a barba por fazer. 
Apesar de tudo, eu sei que ele tem medos, receios, e coisas que não diz para ninguém. Todo mundo tem coisas que quer esconder. Acho que no fundo, ele acaba escondendo o seu eu verdadeiro afogando-se no conhecimento, nos estudos, nas brincadeiras. Mas, ele sabe aproveitar a vida, esta é outra característica que admiro nele.
Adoro ouvir as histórias que ele conta, das coisas que ele já fez, das pessoas que ele conhece, dos lugares que ele conhece. Acho que se ele soubesse que presto atenção em tudo que ele fala, e do quanto gosto de ouvi-lo, ele as contaria só para mim. Bom, seria um monólogo, por que é muito difícil conversar com ele e não se sentir uma idiota, isso faz parte dos sintomas de "timidezcite aguda crônica", somada à "paixoniplatôniccite", esses males me impedem de conversar sabiamente, mas eu me esforço, ou evito.
Não quero que ele, nem ninguém saiba, ou sequer desconfie do que estou sentindo.
Eu já sofri demais com amores não correspondidos, e muito pior: com rejeição. Eu também não quero virar motivo de fofoquinhas. Ainda mais, se ele souber, vai se afastar de vez de mim, e já nem somos próximos.
Bom, eu fico aqui à poetizar, rasgar elogios, fico à observá-lo, contemplando toda sua beleza imperfeitamente perfeita.
Tem um lado positivo nisso tudo: tenho inspiração para escrever poemas, e muitos outros gêneros textuais, especialmente dedicados à ele, mas sem que ele saiba. Espero que ele tenha muito sucesso no curso e na profissão que ele escolheu.
Minha mais nova kriptonita.