segunda-feira, 14 de março de 2016

Aprisionada

Cansada, sem disposição alguma, sem ânimo, sem fome, sem sono. Não consigo me concentrar, não consigo relaxar, não consigo prestar atenção. A mente voa, como se estivesse fumado um back ou coisa assim. Passam mil fitas.
Não sinto meu corpo, meus músculos não me obedecem, minhas articulações não me obedecem, meu corpo não me obedece. O pensamento diz: levanta! Vive! As palavras ecoam dentro de mim, inúteis. A bagunça da casa incomoda, mas, é inútil querer limpá-la. Os conteúdos das disciplinas se acumulam, inutilmente tento colocá-los em dia. Estou fraca! Preciso reagir, mas não sei como.
Isso não é vida. Me sinto como uma lagarta que quer terminar a metamorfose mas, ainda não consegue sair do casulo.
Escrevo, escrevo, escrevo, sobre tudo que penso, e nunca consigo acalmar o turbilhão de pensamentos. E em meio a tudo isso só me vem um grito:
SOCORRO! PRECISO SER LIVRE!