terça-feira, 8 de março de 2016

SOMOS

Por Marina Lima


Somos mães, filhas, namoradas, solteiras, esposas, chefes, empregadas. Somos pedreiras, médicas, enfermeiras, dançarinas, cantoras, estudantes, empresárias, camelôs, secretárias, instrumentistas, soldadas... Astronautas? Também! Podemos ser tudo o que quisermos. 

Somos gordas, magras, altas, baixinhas, olhos claros, olhos escuros, cabelos crespos, cacheados, lisos, raspados, cabelos negros, ruivos, loiros, azuis, rosas... Usamos minissaia, saia longa, roupa curta, vestidos que vão até o chão, blusinha, camisa social, colar de pérolas, gravata, brincos enormes, brincos pequenos, tatuagens... A gente usa o que a gente quiser, o que gostar, por que, gosto é individual.

Somos mulheres, sonhadoras, guerreiras, corajosas, destemidas, batalhadoras, bem resolvidas e podemos ser também românticas, medrosas, tímidas, e confusas, somos complicadas? Sim, admito, somos um pouco.

Somos mulheres, daquelas que sim, têm TPM, por que hormônios são hormônios, não dá para evitar se sentir um pouco diferente. Somos mulheres, daquelas que sentem cólica e que sangram por dias, mas, que não param de viver suas vidas por causa disso. Somos mulheres, daquelas que têm filho, que querem ter, que querem gerar um bebê dentro delas, que querem  um bebê seu, gerado em outra barriga, daquelas que querem adotar e daquelas que não querem ter filhos. Somos mulheres, daquelas que nasceram com par de cromossomo XX e daquelas que nasceram com par de XY, também, por que não?!

Somos mulheres, daquelas que têm estrias, celulites, culotes, pneuzinhos na cintura, espinhas, pelos pelo corpo. Somos mulheres daquelas que amam depilação, salão de beleza, maquiagem e salto alto, e daquelas que odeiam, daquelas que amam a cor rosa, e daquelas que preferem o preto, daquelas que adoram flores, babados, frufrus, estampas, ou daquelas monocromáticas, que gostam de coisas básicas, e somos daquelas que preferem o dois, dependendo do humor e da ocasião.

Somos mulheres, daquelas que passam o dia cuidando da casa e daquelas que passam o dia trabalhando fora, daquelas que decidem largar o emprego para cuidar da família e daquelas que arrumam emprego para cuidar da família, somos daquelas que não querem ter família.

Somos mulheres, daquelas que gostam de homens, daquelas que gostam de mulheres, e daquelas que gostam dos dois. Daquelas que flertam e puxam assunto, daquelas que têm atitude e daquelas que esperam atitude da outra parte. Somos mulheres, daquelas que começam a vida sexual aos 16, e daquelas que preferem esperar o momento certo. Somos mulheres, daquelas que querem casar virgem, daquelas que querem casar na igreja com grinalda e vestido branco, daquelas que querem o “papel passado”, daquelas que querem só “ajuntar os trapos”, e daquelas que não querem casar.

Somos mulheres, complicadas e perfeitinhas, doces e amargas, ricas e pobres... Somos bilhões de mulheres, de nacionalidades, culturas e religiões diferentes, e de pensamentos diferentes. Somos bilhões de mulheres diferentes (e não é só no DNA não). 

SOMOS MULHERES, fazemos parte da sociedade, quer ela queira, quer não, somos seres humanos, e se são os seres humanos quem modificam a natureza e a própria sociedade, nós também podemos fazer modificações. 


08 de março, Dia Internacional da Mulher!