terça-feira, 27 de setembro de 2016

Sobre o amor!

"Amor é bicho instruido.

Olha: o amor pulou o muro
o amor subiu na árvore
em tempo de se estrepar
Pronto, o amor se estrepou.
Daqui estou vendo o sangue
que escorre do corpo andrógino.
Essa ferida, meu bem,
às vezes não sara nunca,
às vezes sara amanhã.

Daqui estou vendo o amor
irritado, desapontado,
mas também vejo outras coisas:
vejo corpos, vejo almas
vejo beijos que se beijam
ouço mãos que se conversam
e que viajam sem mapa.
Vejo muitas outras coisas
que não ouso compreender…"


Carlos Drummond de Andrade

sexta-feira, 16 de setembro de 2016

Sobre você, sobre saudade

Sinto saudades
Mas, pouco importa
Você não dá a mínima para mim.
Se estou viva ou morta, pouco importa
Se eu morrer hoje, pra você tanto faz
Sua indiferença e sua frieza quase acabaram comigo. Não deixarei que aconteça outra vez.
Me afastei e continuarei assim. Você não se importa, você nem deve ter percebido, deve ter ficado aliviado até.
Eu não vou mais correr atrás. Então fica assim, você lá, eu aqui. E nunca devia ter sido diferente.
Você é minha droga, e drogas não fazem bem a saúde, por mais legais que sejam.
Se vier me procurar, estarei aqui, mas, venha de corpo e alma, se tiver uma. Venha só, ou traga seus monstros e fantasmas, não traga amores de tempos passados se esses ainda estiverem vivos.
Já passei maus bocados, e não quero passar por tudo outra vez. Sabe, o fundo do poço não é nem de longe o melhor lugar do mundo.
Sei que não virás, como eu disse, pouco importo pra você.
Vou seguir em frente... Mas, saiba que estou ao seu lado, em qualquer época, em qualquer tempo. A gente segue a vida, o tempo passa, mas, amor não morre.

Quem quiser me amar

Quem quiser me amar terá que me amar do jeito que sou, com todos os meus defeitos e "imperfeições", todas as coisas que uma mulher "normal" não deve ter, mas que eu tenho.
Quem quiser me amar, terá que me amar assim, com o cabelo enroladinho e a pele de chocolate, com esse sorriso de dentes tortos e amarelados, com essas unhas roídas também.
Quem quiser me amar terá que me amar com essa intensidade de sentir que eu tenho, com minhas incertezas, meus medos bobos e minha insegurança.
Quem quiser me amar tem que me amar sabendo que eu mudo de idéia constantemente e que sou a pessoa mais indecisa que existe, e a mais impulsiva também.
Quem quiser me amar tem que me amar sabendo que eu sou o que sou, e que não deve me obrigar a mudar, apenas me ajudar nas mudanças que ocorrerão naturalmente.