sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

O padecer de Ana

Ana era uma jovem de 20 anos, que havia acabado de passar no vestibular, de novo, era a terceira vez que ela havia entrado para uma universidade. Na primeira vez, ela gostou, mas achou melhor trocar por uma universidade mais conceituada, e foi a segunda vez, onde se arrependeu, se sentiu só, não se encaixou, quis morrer, tomou coragem, abandonou no quarto semestre. Agora era diferente, tinha que ser diferente, ou ninguém mais daria crédito a Ana, ninguém mais a apoiaria. Era sempre assim, ela nunca sabia o que queria da vida, a única certeza que ela tinha, era a de que queria ser feliz, amar e ser amada, dar orgulho para todos, ser o exemplo, mas, parte de Ana não estava nem aí para essa certeza, parte de Ana estava pouco se fudendo para o mundo e para tudo. Ana era um poço de confusão e loucura, uma única pessoa dividida em duas, que guerreavam entre elas, e essa guerra destruía Ana, pouco a pouco. Pobre Ana, morrendo sem ninguém perceber, incompreendida até por si própria, rejeitando pessoas, sendo rejeitada por elas. Era um inferno, um inferno dentro de si mesma, não dava para fugir, gritar não resolveria, morrer pioraria as coisas. Para Ana só restava ter esperança, e padecer pouco a pouco, enquanto o tempo passava.