quarta-feira, 5 de abril de 2017

Sobre amor, sim!

Rainer Maria Rilke, disse à um jovem poeta que evitasse escrever sobre amor, algo demasiadamente comum, sobre o qual muitos já falam.
Mas, contrariando esse conselho, cá estou eu, uma aspirante a aspirante de escritora, para escrever sobre amor.
O amor é lindo!
Sim, o amor é e sempre será lindo, por que o amor é puro, é perfeito. O amor não machuca. Saudade machuca, falta de amor machuca, rejeição machuca... Amor? Amor cura! Amor muda! Amor transforma!
O amor transforma dias cinzentos em lindos dias cinzentos, ou simplesmente em dias magnificamente coloridos.
Amar e ser amado é uma das melhores coisas do mundo. Nunca tive essa experiência, mas, tenho certeza que é. Basta ver o jeito bobo como os apaixonados agem, eles são leves, são felizes, eles falam o tempo inteiro um do outro, eles são tão fofos que dá vontade de colocá-los num potinho e protegê-los de todo mal, para que nada abalem seus sonhos e que a vida não destrua tal amor. O amor melhora as pessoas, e se não melhorar, não é amor. Parece que ninguém se torna uma pessoa ruim quando ama e é amada.
O amor cria uma deliciosa relação de respeito, carinho, dedicação entre duas pessoas. Elas se ajudam, se entendem (só com um olhar às vezes). Um casal que se ama torna-se um só, mas, mesmo que possuam um coração, o amor preserva a particularidade de cada um, ao mesmo.
Pensando bem, Rilke tinha razão, é tão difícil falar de amor, mas, é tão impossível não falar.
Termino esse pequeno texto com um trecho de uma música do Lenine que agora me veio à mente:
" Amor é pra quem ama
Amor matéria-prima
A chama
O sumo
A soma
O tema..."